• Cine Movies
  • Posts Recentes
  • Destaques

Postagens populares

Tech News

.

Postagens populares

Recent Post

2016/09/26
Festival 'Olhares do Mediterrâneo - Cinema no Feminino' com ciclo dedicado aos refugiados

Festival 'Olhares do Mediterrâneo - Cinema no Feminino' com ciclo dedicado aos refugiados

Festival “Olhares do Mediterrâneo
Cinema 
no Feminino” com ciclo dedicado aos refugiados 





Chama-se “Travessias” o ciclo de filmes dedicado aos refugiados que este ano integra o festival “Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino”, em Lisboa. A partir de 29 de setembro, no Cinema São Jorge, filmes oriundos de 18 países vão colocar em destaque o papel da mulher na produção cinematográfica contemporânea. Todos os dias haverá debates.


O festival “Olhares do Mediterrâneo – Cinema no Feminino” está de volta, de 29 de setembro a 2 de outubro, no Cinema São Jorge, em Lisboa. O evento, que promove a exibição de filmes oriundos da bacia mediterrânica e pretende divulgar o papel da mulher na produção cinematográfica, apresenta uma programação composta por 33 filmes, debates, workshops, performances e uma exposição.

“Há muito pouca exibição de cinema feito por mulheres: a percentagem é muito baixa, inferior a 20%”, afirma Antónia Pedroso de Lima, da organização do festival, professora de Antropologia no ISCTE – IUL e presidente do CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia, uma unidade de I&D com polos em quatro universidades portuguesas: ISCTE –
IUL, Nova de Lisboa, Coimbra e Minho. “Por isso”, continua Antónia Pedroso de Lima, “o festival ‘Olhares do Mediterrâneo’ vem preencher um espaço que não estava ocupado e que, para além de transportar consigo uma mostra da diversidade cultural das diferentes regiões mediterrânicas, também divulga outras formas de fazer cinema”.

Durante quatro dias, serão exibidas nove longas e 24 curtas-metragens, oriundas de 18 países, nomeadamente Albânia, Croácia, Egipto, Espanha, França, Grécia, Israel, Itália, Líbano, Marrocos, Portugal, Turquia, entre outros. O Festival apresenta um panorama diversificado de géneros cinematográficos, nomeadamente documentário, ficção, animação e experimental, existindo 20 estreias nacionais e duas estreias mundiais. Alguns dos filmes programados contam com a presença de elementos das equipas criativas nas respetivas sessões.


Prémio “Travessias”
Nesta edição, o Festival apresenta pela primeira vez um ciclo especial – “Travessias”. Esta secção, dedicada ao tema dos refugiados e migrações forçadas, é composta por oito filmes e quatro debates. Estará presente a ONG “SOS Méditerranée France” (que resgata pessoas neste mar) e haverá uma exposição fotográfica com o título “Olhares que Nos Habitam”, construída através do olhar de um grupo de mulheres refugiadas em Portugal.



“Para além da atualidade dramática do tema dos refugiados, há o interesse de vermos estas vivências através de diferentes olhares, não só femininos, mas de diferentes países das duas margens do Mediterrâneo: por exemplo, as realizadoras do Magrebe ou do Próximo Oriente abordam este problema com um olhar diferente que é muito importante conhecermos”, afirma Antónia Pedroso de Lima. “Um dos filmes, por exemplo, mostra atores sírios a viverem no Líbano. Retrata a forma como eles vivem nesta nova situação e fazem por manter a sua atividade”.

A secção “Travessias” passará filmes em todos os dias do festival e terá um prémio especial para ela. Este será entregue por João Afonso, vereador dos direitos sociais da Câmara Municipal de Lisboa, que patrocina o prémio.

A par do cinema, existirá uma programação paralela diversificada, composta por: workshop de culinária Nem Acredito que É Saudável, com Sara Oliveira; atelier de cinema Olhares em Pequenino, com Maria Remédio; oficina Falsos Amigos, pelo Instituto Cervantes; cerimónia de chá, promovida pela Embaixada de Marrocos; concertos com Coro Feminino de Lisboa e Ana Barroso; conferência As pessoas no Mediterrâneo; e mercado de livros, artesanato e sabores.


www.olharesdomediterraneo.org
LIED BALLET BY THOMAS LEBRUN - Dia 05/10, no Teatro Bradesco Rio

LIED BALLET BY THOMAS LEBRUN - Dia 05/10, no Teatro Bradesco Rio

MINISTÉRIO DA CULTURA, ZAFFARI e TRAMONTINA apresentam

LIED BALLET BY THOMAS LEBRUN
Turnê passará por três cidades brasileiras em outubro. A realização é da Opus Promoções




Para mais informações acesse
www.opuspromocoes.com.br

Pela primeira vez no Brasil, o transgressor Lied Ballet, criado pelo coreógrafo Thomas Lebrun, aborda uma forma de dança livre, que aceita diferentes influências e abre um leque de possibilidades coreográficas. Uma dança que desafia dicotomias entre clássico e contemporâneo, preciso e abstrato, e tenta encontrar o seu próprio lugar nas entrelinhas. As apresentações no Brasil, com realização da Opus Promoções e Ministério da Cultura, acontecem dias 5 de outubro, no Teatro Bradesco Rio (Rio de Janeiro/RJ); 7 de outubro, no Teatro do Bourbon Country (Porto Alegre/RS) e 11 de outubro, no Teatro Bradesco (São Paulo/SP). O Lied Ballet integra a Programação do FranceDanse Brasil 2016. Confira o serviço completo abaixo.

O espetáculo, apresentado em três atos, une duas grandes referências do período romântico em roupagem atual: o Lied, palavra de origem alemã e de gênero neutro, que representa a música erudita cantada sobre poema estrófico, e o Ballet. Os temas românticos Lieder são transformados em movimento, criando uma escrita coreográfica que começa com mímica e termina em abstração. No final, tudo se conjuga em um grande coro desafiando gêneros e categorias, expressando fundamentalmente a confiança do artista no corpo dançante.

No palco são oito dançarinos que, juntos, fazem de si um legado coreográfico e musical, afirmando-se, como Thomas Lebrun descreve, "Não tanto como criadores, mas como fabricantes, atores, reatores, transmissores de uma história que não podemos controlar, que nos carrega e nos alimenta”.

Em movimento

Utilizando letras de música como compasso, e de fato como a principal fonte da composição coreográfica, este novo trabalho brinca com tendências passadas, flertando com a narrativa ou com a composição formal do ballet e deslizando em direção aos temas melódicos íntimos do romantismo. Morte, amor, natureza, reflexão e solidão são todos pontos muito comuns compartilhados pelas duas formas, ainda que elas tenham seguido direções opostas – canções populares tornando-se conhecidas; espetáculos criados para a burguesia que agora podem ser vistos em anfiteatros por todos, mas que são desdenhados por artes inovadoras. Por meio de suas diferentes evoluções, a música e o ballet questionam o espaço aberto a questões sociais e tolerância em contextos culturais.

O primeiro ato, centrado na força da simplicidade gestual, guiado por versos e sonhos, e ritmado por fotos post-mortem vitorianas, marca o encontro de personagens ímpares: crianças falecidas, uma jovem, doce e pálida garota, uma burguesa solitária à beira da loucura e um poeta amaldiçoado prostrado pelo peso do mundo. Carregado pelos acordes obstinados de Chukrum, uma peça para uma orquestra de cordas de Giacinto Scelsi, este ato permite que uma pantomina pitoresca e pura se enraíze – impulsionado pela paixão interior do bailarino.

Um segundo ato, com canções de Berg, Mahler e Schoenberg, dá aos oito bailarinos tempos coreográficos precisos e apaixonados que delineiam espaços, ecoando as variações pas de deux e pas de trois, conhecidas do ballet. Com uma minuciosa relação com a música, este ato também questiona a ideia da habilidade nos tempos modernos, que talvez não seja a que imaginamos. As qualidades e singularidades dos diferentes bailarinos recebem destaque, o que para Thomas Lebrun é o mais importante.

Um terceiro ato, de refrão, escrito ao som de uma composição musical de David François Moreau, dilui e coloca novamente em foco a questão social, acelerando o ritmo, prendendo o indivíduo em um loop infinito e seguindo os passos dos mais velhos, do desconhecido, dos que já partiram e foram apagados. Ainda, nascido de nós, no entanto, no calor da ação, em uma coreografia sem escapatória. A mesma dança floresce de formas diferentes no mesmo corpo ou em outros corpos. Um ato de resistência e de aceitação das referências.



Thomas Lebrun

Bailarino para coreógrafos como Bernard Glandier, Daniel Larrieu, Christine Bastin, Christine Jouve ou Pascal Montrouge, Thomas Lebrun fundou sua companhia de dança (Companhia Illico) em 2000, após a criação do solo Cache ta joie! baseado no Région Nord – Pas de Calais, ele foi o primeiro artista associado ao Vivat d’Armentières (2002-2004) antes de se associar ao Choreographic Development Center of Dance à Lille, entre 2005 e 2011.

Thomas Lebrun também participou da criação de performances com o coreógrafo suíço Foofwa d’Imobilité (Le show / Un twomen show) e com o coreógrafo francês Cécile Loyer (Que tal!). Ele também ensina dança contemporânea e oferece um espaço importante à transmissão: os Centros Nacionais de Dança de Pantin e Lyon, na França e o Paris Conservatoire of Music and Dance.

Thomas Lebrun também cria performances para bailarinos e companhias de dança estrangeiras: o Chinese National Ballet de Liaonning, o Grupo Tapias no Brasil (um solo e um quinteto – em 2009, para o Ano da França no Brasil), um solo para a bailarina e coreógrafa lituana Loreta Juodkaité (durante a edição de 2009 do New Baltic Dance Festival – evento Vilnius and the FranceDanse Vilnius organizado pela Culturesfrance) e recentemente, na Coreia do Sul, para seis bailarinos coreanos na criação FranKorean Tale como abertura do Festival MODAFE em Seul, dentro do FranceDanse Corée, organizado pelo Instituto Francês.

Em 2010, ele foi comissionado pela 64ª edição do Festival d’Avignon e SACD com um solo chamado Parfois, le corps n’a pas de coeur (Às vezes, o corpo não possui um coração).

Em maio de 2011, Thomas Lebrun criou Six order pieces, um solo escrito em colaboração com seis artistas convidados: os coreógrafos Michèle Noiret e Bernard Glandier, a cineasta Ursula Meier, a cinegrafista Charlotte Rousseau, o designer de iluminação Jean-Marc Serre e o compositor musical Scanner. Em março de 2012, ele criou sua versão de La jeune et la mort (A Morte e a Donzela) com sete bailarinos (entre 26 e 62 anos de idade), um cantor de ópera e um quarteto de cordas ao vivo.

Desde 2012, Thomas Lebrun é o diretor do centro coreográfico Nacional de Tours.

Em junho de 2014, Thomas Lebrun recebeu o prêmio de coreografia dos Diretores do SACD (Société des auteurs chorégraphiques et dramatiques).

Convidado para a 68ª Festival d'Avignon, com o majestoso cenário de Cloître des Carmes, ele fez Lied Ballet, uma peça em três atos para oito bailarinos, um tenor, e um pianista, em julho de 2014.

Como parte dos Monumentos em Movimento iniciado pelo Centre des monuments nationaux, Thomas Lebrun fez Où chaque souffle danse nos mémoires (Onde nossas memórias dançam com cada respiração), uma coreografia primeiramente apresentada em setembro de 2015, nos castelos de Azay-le-Rideau e Châteaudun, e no Palais Jacques Coeur em Bourges. Estará em turnê para os Monumentos Nacionais até 2017.

Ele está aqui para apresentar seu novo trabalho, Avant toutes disparitions, no Théâtre National de Chaillot, em maio de 2016.

Thomas Lebrun tem sido o diretor do Centre chorégraphique national de Tours desde de janeiro de 2012.




Ficha Técnica:

Coreografia: Thomas Lebrun
Bailarinos: Maxime Camo, Anthony Cazaux, Raphaël Cottin, Anne-Emmanuelle Deroo, Anne-Sophie Lancelin, Matthieu Patarozzi, Léa Scher, Yohann Têté
Músicos: Alban Berg, Gustav Mahler, Giacinto Scelsi, Arnold Schönberg
Música da cena original: David François Moreau
Iluminação: Jean-Marc Serre
Gerente de Iluminação: Xavier Carré
Som: Mélodie Souquet
Figurinista: Jeanne Guellaff
Figurinos feitos por: Jeanne Guellaff, Sylvie Ryser

Produção: Centre Chorégraphique National de Tours
Coprodução: Festival d'Avignon, Maison de la danse de Lyon, Les Quinconces-L’espal, scène conventionnée du Mans, La Maison de la Culture de Bourges, scène nationale, Scène nationale de Besançon, La Rampe-La Ponatière scène conventionnée - Échirolles, Association Beaumarchais - SACD
Residência: Scène nationale de Cavaillon
Produzido com o apoio de Région Centre-Val de Loire e SPEDIDAM

O Centre chorégraphique national de Tours patrocinado pelo Ministério da Cultura e Comunicação – DGCA - DRAC Centre-Val de Loire, City of Tours,  Région Centre-Val de Loire, e o Conseil Départmental d’Indre-et-Loire. O Centre chorégraphique national de Tours foi patrocinado pelo l’Institut français para suas turnês internacionais.


Realização: Opus Promoções e Ministério da Cultura
Produzido com o apoio de l’Institut Français, Région Centre-Val de Loire e SPEDIDAM
Duração: 70 min.
Classificação: Livre
ZAFFARI e TRAMONTINA apresentam LIED BALLET em Porto Alegre

LIED BALLET BY THOMAS LEBRUN
Dia 5 de outubro, no Teatro Bradesco Rio (Rio de Janeiro/RJ)
Dia 7 de outubro, no Teatro do Bourbon Country (Porto Alegre/RS)
Dia 11 de outubro, no Teatro Bradesco (São Paulo/SP)

RIO DE JANEIRO (RJ)
Dia 5 de outubro
Quarta-feira, às 21h
Teatro Bradesco Rio (Avenida das Américas, 3900 – loja 160 do Shopping VillageMall – Barra da Tijuca)

INGRESSOS
Setor
Inteira
Meia-Entrada
Frisas
R$ 50,00
R$ 25,00
Balcão Nobre
R$ 50,00
R$ 25,00
Plateia Alta (S a U)
R$ 50,00
R$ 25,00
Plateia Alta
R$ 80,00
R$ 40,00
Camarote
R$ 130,00
R$ 65,00
Plateia Baixa
R$ 180,00
R$ 90,00

- 50% de desconto para titulares do Cartão Alelo Cultura, na compra de um ingresso, pago com o Cartão Alelo Cultura (vale-cultura), adquirido somente na bilheteria do Teatro Bradesco Rio – limitado a 100 ingressos;
- 25% de desconto para Clientes Bradesco e guichê exclusivo na bilheteria do Teatro Bradesco Rio. Desconto limitado a 4 ingressos por sessão para o titular do cartão. Venda limitada de 200 ingressos por sessão.
- 25% de desconto para Portadores Passaporte Olímpico em até dois ingressos por sessão, por assinante – limitado a 100 ingressos;
- 20% de desconto para assinante O Globo. Desconto limitado a 2 ingressos por sessão para o titular do cartão. Venda limitada de 200 ingressos por sessão e disponível apenas para compras efetuadas na bilheteria do Teatro Bradesco Rio;
- 20% de desconto Passaporte de Benefícios VillageMall em até dois ingressos. Limitado a 100 ingressos por sessão. Desconto válido apenas para compras efetuadas na Bilheteria do Teatro Bradesco.

*Crianças até 24 meses que fiquem sentadas no colo não pagam
** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso à casa de espetáculo;
******A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio de Janeiro:
- IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.
- ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, FNEL, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br 
- PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.
- JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.
- MENORES DE 21 ANOS mediante apresentação de carteira de identidade ou documento com foto válido.
- PROFESSORES E PROFISSIONAIS DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO (apenas aqueles que atuam no município do Rio de Janeiro) mediante de carteira funcional emitida pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro
**** Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.
*****Descontos não cumulativos.

Capacidade: 1.000 lugares

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS:
Bilheteria Teatro Bradesco Rio: Av. das Américas, 3.900/Lj 160- Tel: 3431-0100 (de terça a domingo: 13h às 19h.)
Sujeito à taxa de conveniência:
Site: www.ingressorapido.com.br (a compra pode ser feita até duas horas antes do evento)
Call Center: 4003-1212 (de segunda a sábado, das 9h às 22h, e domingo, das 12h às 18h)
FNAC Barra Shopping: Av. das Américas, 4.666 Loja B 101/114 (Segunda a sábado, das 10h às 20h, domingo, das 13h às 18h, e feriado, das 15h às 18h).
Formas de pagamento: Amex, Aura, Diners, dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron. (Neste ponto de venda não é possível fazer a retirada de ingressos adquiridos pela internet e call center)
Centro 021 Turismo: Avenida Rio Branco, 181 Sala 704 - Centro (Segunda a sexta, das 10h às 19h). Formas de Pagamento: somente em dinheiro. (Neste ponto de venda não é possível fazer a retirada de ingressos adquiridos pela internet e call center)
Theatro Net Rio: Rua Siqueira Campos, 143 (Segunda a domingo das 10h às 18h). Formas de pagamento: Amex, Aura, Diners, Dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron.
Loja Vivo Ipanema: Rua Visconde de Pirajá, 443 (Segunda a sexta, das 13h às 19h, domingo, das 10h às 16h e aos feriados não há funcionamento). Formas de pagamento: Amex, Aura, Credicard, Diners, Dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron.
Posto BR Piraquê: Av. Borges de Medeiros, s/nº (Todos os dias, das 9h às 20h). Formas de pagamento: Amex, Aura, Credicard, Diners, Dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron. (Neste ponto de venda não é possível fazer a retirada de ingressos adquiridos pela internet e call center)
Posto Burgão: Estrada dos Bandeirantes, 3300 (Segunda a sábado, das 8h às 18h). Formas de pagamento: Amex, Aura, Diners, dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron. (Neste ponto de venda não é possível fazer a retirada de ingressos adquiridos pela internet e call center)
Posto BR Bougainville: Rua Uruguai esquina com a Rua Maxell (Segunda a sábado, das 9h às 20h, domingo e feriado, das 9h às 16h). Formas de pagamento: somente em dinheiro.
Multipoint Leblon: Rua General Urquiza, 67 Loja B (Segunda a sexta, das 9h às 18h e sábado, das 10h às 14h. Não há funcionamento aos domingos e feriados). Formas de pagamento: Amex, Aura, Diners, dinheiro, Hipercard, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron. (Neste ponto de venda não é possível fazer a retirada de ingressos adquiridos pela internet e call center).
Cidade das Artes - Barra da Tijuca: Avenida da Américas, 5300 (Terça a quinta, das 13h às 19h e sexta a domingo, das 13h às 17h). Formas de pagamento: Amex, Diners, Dinheiro, Mastercard, Redeshop, Visa e Visa Electron.


Assessoria de Imprensa no RJ:
Ana Paula Romeiro - (21) 99601.3908 / 3283.8258 - ana.romeiro@globo.com
Luiz Claudio de Almeida – (21) 97281.6108 - luizclaudio@jpass.com.br



Cineplaneta o seu canal cultural..
2016/09/22
Concurso Cultural Você com Carol Dias

Concurso Cultural Você com Carol Dias

Concurso Cultural Você com Carol Dias




Carol Dias, musa do programa Pânico, não para de surpreender! Agora está envolvida com sua nova coleção para a marca Rosa Fina, que será lançada no Inverno 2017. Porém ,antes disso ela ainda dará um gostinho aos seus fãs ao lançar uma coleção cápsula de vestidos de festa para o final do ano.

E como se isso tudo não bastasse à bela ainda participará do Concurso que vai eleger a musa da marca. O concurso consiste em postar um foto no aplicativo Instagram usando um look Rosa Fina com a seguinte hastag #EuUsoRosaFina. O prêmio será participar da Campanha de Inverno 2017 da marca junto com a musa do Pânico e mais cinco looks escolhida pela mesma!

O Concurso começa no dia 19 de setembro e termina no dia 31 de outubro, a própria Carol Dias estará na comissão julgadora do concurso, o resultado será divulgado no dia 11 novembro.




Serviço
Data: 19/09 à 31/10
Resultado: 11/11

Instagram: #EuUsoRosaFina

Cineplaneta o seu canal cultural..
3ª Mostra de Filmes de HIP HOP

3ª Mostra de Filmes de HIP HOP

 3ª MOSTRA DE FILMES HIP HOP
DE 28/09 A 05/10 - NO CINESESC (SP)



** Abertura: DJ Q-Bert faz apresentação inédita e exclusiva + exibição do filme "Wave Twisters", que  completa 15 anos

** Homenagem a Bobbito Garcia, um dos expoentes do Hip Hop de NY

** Clássicos do Hip Hop como Breakin' e Beat Street exibidos em 35mm +  New Jack City, Krush Groove e Os Saqueadores (Trespass)

** Show dos Beastie Boys gravado no Madison Square Garden (NY) + exibição de Gunnin' For That s #1 Spot, em 35mm, ambos de Adam Yauch (MCA)

** entrada gratuita


No mês em que o Sesc comemora 70 anos, a Mostra de Filmes Hip Hop chega à sua 3ª edição e acontece de 28/09 a 05/10, no Cinesesc, em São Paulo, com uma homenagem ao premiado diretor Bobbito Garcia, um dos expoentes do Hip Hop de Nova York.
Com a curadoria de Rodrigo Brandão (conhecido também como Gorila Urbano), a mostra reúne diversos títulos que celebram a cultura Hip Hop,​ entre longas e curtas, ficções ​e​ documentário​s, divididos nos programas: Old School, Raiz de Rua, DJ, Original Gangsta e Obra Inacabada. Toda programação com entrada gratuita.

A mostra abre no dia 28 de setembro, às 20h30, com uma cerimônia para convidados e também para o público, com a exibição do filme Wave Twisters, de Syd Garon e Eric Henry, inédito no Brasil e que completa 15 anos em 2016. A sessão especial contará com a presença do DJ Q-BERT - considerado o melhor de todos os tempos pelos próprios DJs -  que fará uma apresentação inédita e exclusiva. O filme, que é o primeiro musical do gênero feito todo em animação, foi construído com base no disco homônimo do DJ Q-Bert.

Considerado uma lenda urbana em Nova York, Bobbito Garcia - conhecido também como Kool Bob Love -  ajudou a difundir artistas de rap como Wu- Tang Clan, Jay-Z, Notorious B.I.G e Nas, através do programa de rádio que apresentava, junto com o DJ Stretch Armstrong, nos anos 90. A história pode ser conferida no documentário Stretch and Bobbito: Radio That Changed Lives, inédito no Brasil.

Bobbito também é DJ, guru dos sneaker-maníacos, colecionador de discos e jogador de pick up basketball, assunto sobre o qual dirigiu um documentário junto com Kevin Couliau, intitulado Doin’ It In The Park: Pick-up Basketball, NYC, exibido pela primeira vez no país,  que explora a história, cultura e impacto social dos praticantes de basquete de rua.

Já em ​We Like It Like That​ - The Story of Latin Boogaloo, o homenageado narra o documentário sobre o Latin Boogaloo, gênero de música e dança latina que foi muito popular em Nova York no final dos anos 1960. O filme será exibido pela primeira vez no Brasil.

No programa Old School, uma seleção com três clássicos que até hoje são referências não só no movimento Hip Hop, mas também em outros universos. São eles: Krush Groove (1985), dirigido por Michael Schultz, baseado na ascensão da gravadora Def Jam, primeiro império empresarial da história da cultura de rua que lançou nomes como Beastie Boys, LL Coll J, e Public Enemy, entre outros.

Já os longas Beat Street - A Loucura Do Ritmo, de Stan Lathan (1984), grande responsável por propagar a cultura hip hop no Brasil nos anos 80, conta com aparições e trilha sonora de nomes como Grandmaster Flash & The Furious Five, Afrika Bambaataa e Kool Moe Dee; e Breakin', do diretor Joel Silberg (1984), que também ajudou a popularizar a dança de rua e os elementos do hip hop, com Lucinda Dickey e os estreantes Ice-T e Jean-Claude Van Damme, serão exibidos em película (35mm), uma rara experiência para qualquer pessoa interessada por arte e cultura urbana.

No programa Original Gangsta, dois títulos que retratam o realismo das gangues dos anos 90. São eles: New Jack City -  A Gangue Brutal, de Mario Van Peebles (1991), sobre um traficante de crack que é perseguido por policiais e um ex-viciado; e Os Saqueadores (Trespass), de Walter Hill (1992), sobre dois bombeiros que topam com uma perigosa gangue executando um rival. Em ambos os filmes, a trilha sonora é assinada por grandes nomes do rap como Ice-T, Ice Cube, Public Enemy, entre outros.

Dois documentários dirigidos pelo rapper, músico, e produtor Adam Yauch, o MCA dos Beastie Boys, falecido em 2012, estão no programa Beastie Boys. Para quem perdeu as duas passagens históricas da banda no Brasil ou quer matar saudade, não pode perder a exibição do documentário Awesome; I Fuckin' Shot That!, ​​registro do show de 2004,  feito por fãs e uma equipe de filmagem. Na apresentação, a banda fez uma releitura de sua carreira, mesclando músicas novas e antigas como "Pass the Mic", "Brass Monkey", "Sabotage", "Intergalactic", "Paul Revere" e "So What'cha Want".

Já em Gunnin’ For That #1 Spot, o diretor mostra a carreira de jogadores profissionais de basquete, desde a passagem pela faculdade até o estrelato na NBA, com depoimentos de Michael Beasley, do Kansas State, Kevin Love, da UCLA, Jerryd Bayless, Tyreke Evans, Donte Greene, Brandon Jennings, Kyle Singler e Lance Stephenson.

No programa Raiz de Rua, serão exibidos Pixadores, de Amir Escandari, que mostra a história dos pichadores Djan, William, Ricardo e Biscoito, que atacaram o mundo das artes durante anos e participaram da Bienal de Berlin, evento que mudou a vida deles; e Hip Rap Hop, que resgata a história do primeiro disco de rap do Brasil, do grupo Região Abissal.

programa DJ mostra a criatividade e paixão pela música dos DJs PG, Kefing, Tamenpi e Sleep no curta Record Store Day, de André Almeida, e suas experiências pessoais com os vinis, desde seus primeiros contatos até a preferência; e o já o citado Wave Twisters, de Syd Garron e Eric Henry, totalmente baseado na obra homônima do DJ Q-Bert.

Para completar a programação, a mostra promove ainda um debate sobre a construção de um documentário de hip hop, no programa Obra Inacabada. O evento, que acontece no sábado, 01/10, às 17h, exibe pela 1ª vez o teaser do doc Poesia Concreta  (ainda em fase de produção), que conta a história do rap underground de SP, através de artistas como Espião, Ascendência Mista, Elo da Corrente, Academia Brasileira de Rimas, Nitro, Ogi, Mamelo Sound System, e outros. Após a exibição, os diretores do filme convidam o público para um bate-papo.


Serviço:

3ª MOSTRA  DE FILMES HIP HOP
Quando: de 28/09 a 04/10
Onde: CineSesc (Rua Augusta, 2.075)
Grátis – Retirada de ingressos 1h antes.

Sessão de Abertura:
Exibição do filme Wave Twisters + apresentação DJ Q-BERT
28/09 - quarta, às 20h30 (Retirada de ingresso 1 hora antes, sujeito à lotação da sala).



PROGRAMAÇÃO

28/09 - QUARTA

20H30- WAVE TWISTERS (SYD GARON, ERIC HENRY | 2001 | EUA|  DIGITAL | 46')
+   COM A PRESENÇA DO DJ Q-BERT (AO VIVO)

29/09 - QUINTA

17H - WE LIKE IT LIKE THAT - THE STORY OF LATIN BOOGALOO (MATHEW WARREN | 2015 | DIGITAL | 82')

19H - DOIN' IT IN THE PARK: PICK-UP BASKETBALL, NYC (BOBBITO GARCIA E KEVIN COULIAU | 2012 | DIGITAL |  83')

21H - NEW JACK CITY - A GANG BRUTAL  (MARIO VAN PEEBLES | 1991 | DIGITAL | 97')
                                                                                                                                                                                                                                           

30/09 - SEXTA

17H - STRETCH AND BOBBITO: RADIO THAT CHANGED LIVES (BOBBITO GARCIA E STRETCH ARMSTRONG | 2015 | DIGITAL | 98')

19H  -  OS SAQUEADORES  | TRESPASS (WALTER HILL | 1992 |  DIGITAL | 101')

21H - BEAT STREET - A LOUCURA DO RITMO (STAN LATHAN  | 1984 | 35MM |  97')


01/10 - SÁBADO

17H - PROGRAMA OBRA INACABADA -  EXIBIÇÃO DO TEASER DO DOC POESIA CONCRETA + DEBATE COM OS DIRETORES + CURADOR DA MOSTRA

19H - KRUSH GROOVE (MICHAEL SCHULTZ | 1985 |  DIGITAL | 97')

21H - GUNNIN’ FOR THAT #1 SPOT (ADAM YAUCH |  2008 |  35MM | 97')


02/10 - DOMINGO

17H - AWESOME; I FUCKIN' SHOT THAT! (NATHANIEL HÖRNBLOWÉR | 2006 |  DIGITAL | 92')

19H - BEAT STREET - A LOUCURA DO RITMO (STAN LATHAN  | 1984 |  35MM | 97')

21H - BREAKIN' (JOEL SILBERG | 1984 | 35MM | 90')


03/10 - SEGUNDA

17H - CURTAS: HIP RAP HOP (RED BULL MEDIA HOUSE E NOIZE  | 2016 | 17') +  RECORD STORE DAY (ANDRÉ ALMEIDA | 2016 | 12')  + WAVE TWISTERS (SYD GARON, ERIC HENRY | 2001  | DIGITAL | 46')
  
19H - DOIN' IT IN THE PARK: PICK-UP BASKETBALL,NYC  (BOBBITO GARCIA E KEVIN COULIAU | 2012 |  DIGITAL | 83')

21H - STRETCH AND BOBBITO: RADIO THAT CHANGED LIVES (BOBBITO GARCIA E STRETCH ARMSTRONG | 2015 | DIGITAL |  98')


04/10 - TERÇA

17H - PIXADORES (AMIR ESCANDARI | 2014 |  DIGITAL | 93')

19H - BREAKIN' (JOEL SILBERG | 1984 |  DIGITAL | 90')

21H - AWESOME; I FUCKIN' SHOT THAT! (NATHANIEL HÖRNBLOWÉR | 2006 |  DIGITAL | 92')

05/10 - QUARTA-FEIRA

17H –  OS SAQUEADORES  | TRESPASS (WALTER HILL | 1992 |  DIGITAL | 101')

19H –  KRUSH GROOVE (MICHAEL SCHULTZ | 1985 |  DIGITAL | 97')

21H - SABOTAGE: O MAESTRO DO CANÃO (IVAN 13P |  2015 | DIGITAL| 114’)





SINOPSES:

HOMENAGEM A BOBBITO GARCIA

STRETCH AND BOBBITO: RADIO THAT CHANGED LIVES
DIR.: BOBBITO GARCIA
2015 | EUA | 98' | DIGITAL
Durante os anos 1990, Bobbito Garcia e Stretch Armstrong apresentaram ao mundo artistas então pouco conhecidos, como Nas, Notorious B.I.G., Wu-Tang Clan, e também os desconhecidos Jay-Z, Fugees e Eminem, através de um programa de rádio apresentado pela dupla.

O documentário resgata um importante capítulo da história do hip hop, com depoimentos desses artistas, que hoje em dia constam no topo da mitologia do rap mundial.

WE LIKE IT LIKE THAT: THE STORY OF LATIN BOOGALOO
DIR.: MATHEW RAMIREZ WARREN
2015 | EUA | 82' | DIGITAL

Da mistura entre o mambo e o son montuno, próprios de Cuba, o R&B e a soul music surgiu o Latin boogaloo, estilo que influenciou toda uma geração e contribuiu na gênese da cultura hip hop.

O Latin boogaloo, o R&B latino dos anos 1960, tomou conta das ruas de Nova York, principalmente em regiões como Brooklyn e El Barrio (como é conhecido o “Spanish Harlem” pelos locais).

O documentário, narrado por Bobbito Garcia, explora esse momento histórico da música latina com um raro arquivo de entrevistas, danças, canções e apresentações. No elenco, lendas do Latin boogaloo, como Joe Bataan, Johnny Colón e Pete Rodriguez.

DOIN’ IT IN THE PARK: PICK-UP BASKETBALL, NYC
DIR.: KEVIN COULIAU, BOBBITO GARCIA
2012 | EUA | 83' | DIGITAL
Nos EUA, a cultura de rua e a prática do basquete se misturam. Não tem como separar as duas coisas. Na cidade de Nova York, são mais de 700 quadras e por volta de 500 mil jogadores que seguem o jogo como religião.

Através de depoimentos de atletas que saíram das ruas para as quadras da NBA, e outros personagens, os diretores Kevin Couliau e Bobbito Garcia mostram a história, a cultura e o impacto social da cena do basquete de rua, o tal pick-up basketball.

PROGRAMA BEASTIE BOYS

GUNNIN’ FOR THAT #1 SPOT
DIR.: ADAM YAUCH
2008 | EUA | 97' | 35 mm

O fundador do lendário trio de hip hop Beastie Boys, Adam Yauch, falecido em 2012, dirigiu esse filme que segue oito jogadores de basquete pelos quatro cantos do país. Desde a trajetória na escola até a chegada na NBA, o diretor mostra como eles são idolatrados pelos fãs, endeusados pelos estudantes e seguidos pelas empresas de tênis e marcas.

Jerryd Bayless, Michael Beasley, Tyreke Evans, Donte Greene, Brandon Jennings, Kevin Love, Kyle Singler e Lance Stephenson são alguns dos astros da quadra que aparecem no filme.

AWESOME; I FUCKIN’ SHOT THAT!
DIR.: NATHANIEL HÖRNBLOWÉR
2006 | EUA | 90' | DIGITAL

Dirigido por Adam Yauch usando codinome Nathaniel Hörnblowér, é o registro do show do grupo Beastie Boys no Madison Square Garden, em Nova York, em outubro de 2004. Os produtores do filme deram câmeras a 50 fãs que foram incumbidos de fazer um registro do show da banda. Além do material produzido por eles, uma equipe profissional cuidou de gravar tudo da forma tradicional.

Na apresentação, os Beastie Boys, que estavam divulgando To the 5 Boroughs, sexto álbum de estúdio da banda, também fizeram uma releitura de sua carreira. No repertório, músicas novas e antigas, como “Pass the Mic”, “Brass Monkey”, “Intergalactic” e “Sabotage”.

PROGRAMA ORIGINAL GANGSTA

TRESPASS | OS SAQUEADORES
DIR.: WALTER HILL
1992 | EUA | 101' | DIGITAL

Dois bombeiros que procuram peças de ouro topam com uma perigosa gangue executando um rival. Em resposta, os criminosos começam a persegui-los, e a única saída dos bombeiros é tornar refém o irmão do líder da gangue.

No elenco, Ice-T, Ice Cube, Bill Paxton e William Sadler. Na trilha sonora, músicas de ambos os astros além de Public Enemy, Sir Mix-a-Lot, Gangstarr, Black Sheep e outros.

NEW JACK CITY – A GANGUE BRUTAL
DIR.: MARIO VAN PEEBLES
1991 | EUA |97' | DIGITAL

Nino Brown é um traficante que acumulou dinheiro, poder e um verdadeiro império graças ao crack. Ele se considera intocável e invencível, mas está enganado. Para detê-lo, surgem Scotty Appleton e Nick Peretti, dois policiais disfarçados, além de Pookie, um ex-viciado que também quer derrubar Nino.

Um filme que retrata com realismo o mundo das gangues, das drogas, e do racismo, com grandes estrelas como Wesley Snipes, Ice-T, Judd Nelson e Chris Rock. A trilha sonora conta com músicas de Ice-T, Queen Latifah, 2 Live Crew e muitos outros rappers.

PROGRAMA OLD SCHOOL

BREAKIN’
DIR.: JOEL SILBERG
1984 | EUA | 90' | 35 mm

Uma jovem e dedicada dançarina de jazz junta-se a dois praticantes do break para uma apresentação de street dance. Entre disputas de gangues, Ozone e Turbo ajudam a garota a superar as suas dificuldades e conquistar seu estrelato.

O filme auxiliou a popularizar a dança de rua e os elementos do hip hop, no Brasil inclusive. No elenco, Ben Lokey, Phineas Newborn III, Lucinda Dickey, Adolfo ‘Shabba-Doo’ Quinones, Michael ‘Boogaloo Shrimp’ Chambers e os então muito jovens Ice-T e Jean-Claude Van Damme.

KRUSH GROOVE
DIR.: MICHAEL SCHULTZ
1985 | EUA | 97' | 35 mm

Russell Walker é um produtor musical que, junto com o gênio de estúdio Rick Rubin, sonha em expandir sua gravadora, Krush Groove Records. Quando o grupo Run-D.M.C. estoura nas paradas de sucesso com o hit “King of Rock”, Russell precisa arrumar dinheiro para investir na produção de mais discos.
Baseado na ascensão da gravadora Def Jam, primeiro império empresarial da história da cultura de rua, Krush Groove é considerado um dos maiores clássicos do rap. No elenco, Sheila E., Kurtis Blow, Run-D.M.C., LL Cool J, Beastie Boys, entre outros.

BEAT STREET – A LOUCURA DO RITMO
DIR.: STAN LATHAN
1984 | EUA | 97' | 35 mm

Controverso, Beat Street é considerado um truque comercial pelos artistas da escola original nos EUA, que julgam títulos como Wild Style e Style Wars como mais autênticos. No entanto, para os brasileiros, ele se coloca num contexto especial. Justamente por contar com a chancela de Hollywood, esse filme ganhou o subtítulo A Loucura do Ritmo e foi exibido aqui na época do lançamento, ao contrário das outras produções citadas. Assim, esse filme foi o grande responsável por propagar a cultura hip hop no Brasil dos anos 1980.
Ele tem aparições e trilha sonora de nomes como Grandmaster Flash & The Furious Five, Afrika Bambaataa e Kool Moe Dee.

PROGRAMA RAIZ DE RUA

PIXADORES
DIR.: AMIR ESCANDARI
2014 | FINLÂNDIA, DINAMARCA, SUÉCIA, ESTÔNIA | 93' | DIGITAL

Os pichadores Djan, William, Ricardo e Biscoito escrevem suas mensagens em prédios altos e muros da cidade, mostrando sua revolta contra a sociedade. Um surpreendente convite para que o grupo participe da Bienal de Berlim muda as vidas deles. Eles decidem ir, mesmo tendo atacado o mundo das artes durante anos com seu trabalho. Quando voltam a São Paulo, nada é como antes.

HIP RAP HOP
DIR.: RED BULL MEDIA HOUSE E NOIZE
2016 | BRASIL | 17' | DIGITAL

Hip Rap Hop, primeiro disco do grupo Região Abissal, é um marco histórico do rap nacional. O documentário mostra como o grupo foi pioneiro na produção de seus próprios beats e melodias, lidou com a resistência da gravadora em entender o som do rap, e especula as razões que levaram um disco tão importante a ficar muitas vezes de lado na história do gênero.

O documentário conta com alguns integrantes do grupo, além das participações de Eliane Dias (empresária dos Racionais), e Sharylaine, Thaíde, KL Jay, Nelson Triunfo, Rodrigo Ogi, entre outros artistas.

SABOTAGE: O MAESTRO DO CANÃO
DIR.: IVAN 13P
2015 | BRASIL | 114’ | DIGITAL

O filme revisita a singularidade musical e a versatilidade midiática de Sabotage, admirado em diversos segmentos da música brasileira, e que, em pouco tempo, se consagrou como um dos nomes mais importantes do rap nacional por trazer uma grande contribuição ao inovar com uma mescla de estilos musicais. Uma homenagem a Mauro Mateus dos Santos, o famoso rapper que dá nome ao filme, com depoimentos de familiares, amigos, parceiros e outros músicos, como Mano Brown, do Racionais MC's, Rappin Hood, Sandrão e Helião, do RZO, Andreas Kisser, do Sepultura, BNegão, Paulo Miklos e os cineastas Hector Babenco, entre outros.


PROGRAMA DJ

WAVE TWISTERS
DIR.: SYD GARON, ERIC HENRY
2001 | EUA | 46' | DIGITAL

Única animação feita totalmente sobre essa cultura. No filme, um grupo de heróis está determinado a salvar as artes perdidas do hip hop da extinção total, e o wave twister é a única arma poderosa o suficiente para derrotar os inimigos.

Dirigido por Syd Garon e Eric Henry, a história é baseada no álbum de mesmo nome do DJ Q-Bert. No elenco, além do próprio, D-Styles, Flare e Buckethead. (Filme abre o festival no dia 28/09)

RECORD STORE DAY
DIR.: ANDRÉ ALMEIDA
2016 | BRASIL | 12' | DIGITAL

A paixão pelo vinil é o tema principal desse míni-documentário, que apresenta os DJs PG, Kefing, Tamenpi e Sleep contando suas experiências pessoais com os vinis, desde os primeiros contatos com a música até a preferência em continuar discotecando com eles, mesmo depois de tanta tecnologia apresentada para o segmento.

O que se vê é que manter esses discos vivos faz com que o cenário musical, mesmo com toda a digitalização da prática do discotecar, mantenha-se genuíno, sem deixar de lado a qualidade e a história musical que só os vinis carregam.

PROGRAMA OBRA INACABADA

Poesia concreta é um projeto que traz um elo perdido na história do rap de São Paulo, o movimento conhecido como underground, que teve como destaques os artistas Espião, Ascendência Mista, Elo da Corrente, Academia Brasileira de Rimas, Nitro, Ogi, Mamelo Sound System e muitos outros que se tornaram referência para a ascensão do rap atual.

Duração do teaser: 10 minutos.

Diretores Convidados:

Del: já dirigiu clipes para Tom Jones, Criolo, Capital Inicial e Ogi. Além disso, é diretor de filmes publicitários e curtas metragens.

Hooligans Collective: coletivo de criação/direção formada por Drunk (beatmaker que vivenciou a cena em questão e produziu para vários artistas) e Zorack (integrante do grupo Ascendência Mista, que fez parte dessa fase contada do projeto).



Cineplaneta o seu canal cultural..
Copyright © 2012 Cine Planeta All Right Reserved
Designed by Oddthemes
Back To Top